Notícias

23/07 14h12

Rafael Teixeira é um dos 8 brasileiros classificados para competir no Challenger Series – WSL

Os atletas brasileiros da elite mundial do surfe estão frequentemente sendo enaltecidos pelas brilhantes performances no World Surf League Championship Tour. No entanto, esse desempenho se estende também as gerações do surfe que estão vindo.
Nas competições masculinas do WSL Qualifying Series, que terminaram domingo (27), no Equador, e da qual participaram 96 surfistas da América Latina, dos 10 atletas classificados para competir no Challenger Series, classificatório para a elite do CT, 8 são brasileiros: Wiggolly Dantas (1º), Ian Gouveia (3º), Thiago Camarão (4º), João Chianca (5º), Weslley Dantas (6º), Edgard Groggia (8º), Samuel Pupo (9º) e Rafael Teixeira (10º).

Há anos batalhando pela tão sonhada vaga no CT, Rafael Teixeira conseguiu dar seu primeiro passo em 2021 com essa importante classificação no Challenger Series. Agora ele conseguirá disputar os eventos mais relevantes nos quesitos pontuações e premiações, fundamentais para alcançar seu lugar na elite do surf mundial.

No feminino, 47 atletas pontuaram no ranking regional da WSL Latin America 2021, e 5 sobem para o Challenger Series, entre elas a brasileira Silvana Lima, atual vice-líder. “Estamos muito felizes com a conclusão das duas etapas no Equador, em que todos os protocolos foram seguidos e os atletas apresentaram um show de surfe! Teremos representantes de cinco países da região no Challenger Series e isso mostra a força da modalidade na América Latina na geração atual e futura”, afirma Ivan Martinho, CEO da WSL Latin America. Os cinco países são: Brasil, Peru, Equador, Uruguai e Argentina.

O Challenger Series terá início em agosto e em cada uma de suas 5 etapas participam 96 atletas. Os 34 tops do CT 2021 têm participação garantida e os outros são indicados pelos rankings regionais dos escritórios da WSL pelo mundo. Além do Latin America (10 surfistas), há North America (10), Australasia (10), Europe (10), Hawaii (7), Ásia (6) e África (5). A WSL, ainda, convida 4 surfistas para se juntar ao grupo. O ranking do Challenger Series classificará 12 surfistas para a elite dos top-34 do CT 2022. Já no Feminino são 48 participantes em cada etapa do Challenger Series e as 6 primeiras do ranking vão para o CT.

Atualmente, 11 surfistas formam a “seleção brasileira” entre os TOP 36 do CT; três estão no Top 3 do ranking mundial: 1º Gabriel Medina; 2º Ítalo Ferreira, e 3º Filipe Toledo. Na elite feminina, nesta temporada, há uma brasileira entre as Top 5: Tatiana Weston-Webb (4ª colocada).

Esse ranking mais uma vez comprova o Brasil como a maior potência do surfe mundial da atualidade e sempre superou os outros países da América do Sul. O domínio verde-amarelo ficou tão consolidado que de todos os campeões sul-americanos da história, de 2006 até 2019, apenas na temporada 2016 o título não foi conquistado por um brasileiro. Para definir os campeões sul-americanos, são computados os resultados das etapas do WSL Qualifying Series realizadas na América do Sul.

O calendário do Challenger Series 2021*:

– US Open of Surfing em Huntington Beach, California, EUA (20 a 26 de setembro)
– MEO Pro Ericeira em Ericeira, Portugal (02 a 10 de outubro)
– Quiksilver/ROXY Pro France em Capbreton/Hossegor/Seignosse, Landes (16 a 24 de outubro)
– Haleiwa Challenger em Haleiwa Beach, Havaí, EUA (25 de novembro a 07 de dezembro)

*Todos os eventos e datas do Tour estão sujeitos a alterações, devido às possíveis restrições relacionadas ao COVID-19, incluindo para viagens internacionais.

Por marcelo
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram