Notícias

21/02 09h08

Krystian Kymerson, Rafael Teixeira e Medina estrearam com vitória no Oi Hang Loose Pro Contest


Gabriel Medina, Round 02 – Foto : Smorigo

A temporada 2019 do bicampeão mundial Gabriel Medina começou como terminou a do ano passado, vencendo a sua primeira bateria após a do título conquistado em dezembro no Havaí. Ele achou os tubos na Cacimba do Padre em sua estreia no Oi Hang Loose Pro Contest, nesta quarta-feira em Fernando de Noronha. No segundo dia, as principais estrelas começaram a se apresentar no Havaí brasileiro e o melhor tubo foi surfado por outro top da elite da World Surf League, Jessé Mendes, que valeu nota 9,0. Outros, como o cabeça de chave número 2, Italo Ferreira, ainda vão competir. A primeira chamada para a continuação da segunda fase será as 7h00 da quinta-feira na Cacimba do Padre, 6h00 no restante do Brasil.

“É muito bom voltar aqui pra Noronha. Fazia alguns anos que a gente não competia aqui, então estou muito feliz e quero agradecer todo mundo pelo carinho, por estar sempre me acompanhando e torcendo”, disse Gabriel Medina. “Aqui é um lugar especial, sempre alto astral, comida boa, altas ondas, falando português com todo mundo e estou muito feliz em estar aqui em Noronha de novo. As condições do mar estavam um pouco difíceis por causa da maré seca, mas consegui achar boas ondas para vencer e estou feliz em seguir no evento”.

Na quarta-feira, as baterias restantes da primeira fase foram iniciadas às 7h15 e a do Medina abrindo a segunda rodada, começou por volta das 10h30. Ela aconteceu numa hora que o mar estava em transformação, na maré seca, com ondas fracas entrando mais no meio da praia. Sua primeira onda foi um tubo rápido e logo o local de Noronha, Patrick Tamberg, pega um mais profundo para largar na frente com nota 6,00. A praia encheu para assistir o bicampeão mundial, mas torciam mesmo para o surfista da ilha convidado pela Hang Loose.


Gabriel Medina, Round 02 – Foto : Smorigo

“O mar está bem difícil e fiquei junto com eles aqui no meio no começo, mas não tava me achando. O coração ficou um pouco mais acelerado, aí fui pro cantinho e consegui pegar umas boas ondas”, disse Gabriel Medina. “Fiquei feliz por ter me encaixado bem ali com as séries e espero que no próximo rounde as ondas estejam melhores. É muito bom estar com meus amigos aqui. Eu quase não corro os QS e é bom rever essa galera toda. Dessa vez, o Charlão (Charles, seu padastro e técnico) ficou em casa, porque a Sophia (irmão mais jovem) vai competir no Rio (de Janeiro), mas já estou grandinho e sei me cuidar (risos)”.

CAPIXABAS NO QS 6.000

Tivemos uma baixa ontem com o Lysandro Leandro, que, numa bateria duríssima contra Jessé Mendes e Tomas Hermes, integrantes do WT e Motinha, nova revelação do surf brasileiro, os pontos foram decididos ao soar da campainha final.


Lysandro Leandro durante freesurf em Noronha – Foto: Espírito Surf

Lysandro chegou a ficar em segundo lugar na bateria por um bom tempo, dando trabalho para o top do WT Tomas Hermes que estava na sua cola brigando pela segunda colocação, uma vez que Jessé Mendes havia se distanciado dos demais com duas notas que os colocaram numa difícil combinação. Tomas conseguiu a onda da virada nos minutos finais deixando o capixaba na terceira colocação e consequentemente eliminado do campeonato.

Rafael Teixeira,  estreou no Round 2 com vitória e avançou em segundo lugar na bateria direto pro round 3. Um momento que o mar não estava muito bom na Cacimba do Padre, um confronto difícil de achar as ondas, mas o capixaba se deu bem.
No round 03, não foi diferente no quesito qualidade do mar, a maré estava baixando novamente e as ondas difíceis e fechando. O capixaba liderou a bateria até a metade do tempo, mas o americano Jake Marshall acabou assumindo a primeira colocação, junto com o japonês Reo Inaba que ficou em segundo. Rafael terminou a bateria em terceiro e também foi eliminado da etapa.


Rafael Teixeira – Foto reprodução Instagram

Krystian Kymerson segue agora sozinho com a bandeira do Espírito Santo, ele começou hoje, quinta-feira, vencendo a bateria do round 02. A briga ficou principalmente entre ele e o ex top do WT Alejo Muniz.


Krystian Kymerson dando entrevista após vitória no round 02

Kymerson conseguiu usar todo o seu arsenal de manobras, com aéreos e tubos, conseguindo passar tranquilamente pro round 03 no qual enfrentará, talvez hoje, Samuel Pupo e Alex Ribeiro do Brasil e o havaiano Ian Gentil, na bateria 08.


Krystian Kymerson jogando pra dentro do tubo na Cacimba – Captura de tela

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram