Notícias

19/02 20h50

Começa o show de surf no Oi Hang Loose Pro Contest e tem capixaba avançando!


Samuel Igo, primeiro 10 do evento – Foto : Smorigo

O Oi Hang Loose Pro Contest abriu o primeiro QS 6000 da temporada na terça-feira, com a Cacimba do Padre já bombando altas ondas no primeiro dia de Sol e muito calor em Fernando de Noronha. O paraibano Samuel Igo comandou o show, surfando o primeiro tubaço nota 10 neste retorno do evento mais tradicional do surfe brasileiro para a ilha após 7 anos. Ele já havia brilhado em outro tubo que valeu nota 9 para totalizar 19 pontos de 20 possíveis no quarto confronto do dia. O bicampeão mundial Gabriel Medina estreia nesta quarta-feira e as baterias podem começar mais cedo, com a primeira chamada marcada para as 7h00 no arquipélago pernambucano, onde o fuso horário é de 1h00 a mais do restante do Brasil.

“Que momento especial que nem consigo acreditar, só agradecer a Deus mesmo pelo privilégio de voltar a essa ilha”, vibrou Samuel Igo, que há muitos anos mora no Rio de Janeiro. “Eu tenho uma conexão muito boa com esse lugar, muita gratidão e estou feliz demais em conseguir fazer esses dois high-scores (notas altas), feliz por estar conectado na onda. A prancha boa ajudou bastante também, mas o campeonato está só começando”.

O paraibano falou mais sobre o tubo que arrancou a primeira nota 10 unânime dos cinco juízes no Oi Hang Loose Pro Contest: “Eu estava muito atrás da onda e, quando remei nela, nem acreditei que seria tão boa, porque vi que ela ia secar muito lá na frente e eu estava muito atrás. Só que eu já tinha remado, então fui com tudo e quando dropei, a prancha projetou muito pra frente, mas vi que dava tempo de sair. As placas foram caindo e fiquei focado olhando no finalzinho do tubo, falando pra mim mesmo que ia dar certo, que ia dar certo e consegui sair amarradão. Foi demais e esse lugar é realmente incrível”.


Palanque do Oi Hang Loose Pro – Foto : Smorigo

Nessa mesma bateria em que Samuel Igo conseguiu a primeira nota máxima, a força das ondas da Cacimba do Padre também partiu a primeira prancha ao meio. Era do norte-americano Eithan Osborne, que mesmo assim se classificou em segundo lugar para a próxima fase, superando o havaiano Cole Alves e o brasileiro Daniel Ostrowski. Eithan ganhou a primeira etapa da temporada em Israel, mas já perdeu a liderança no ranking do WSL Qualifying Series para o australiano Jack Robinson, campeão do outro evento com o mesmo status QS 3000 em Pipeline, semanas atrás no Havaí.

CAPIXABA AVANÇA PARA O ROUND 02


Lysandro Leandro em Noronha – Foto : Reprodução Instagram

Numa bateria muito disputada o capixaba, a sexta do dia, Lysandro Leandro conseguiu avançar para o round 02 nos últimos segundos. Conversamos com ele pelo telefone para saber os detalhes confira abaixo:

”Então, foi uma bateria bem difícil, peguei o mar na maré seca, no zero. As ondas bem difíceis, fechando muito mais que abrindo.” e continuou … ”Vi que vários tubos que tentei todos fecharam, por isso mudei a estratégia e fui para as manobras. Faltando 5 minutos para acabar a bateria, como eu estava sem prioridade nenhuma, resolvi ir mais pra direita do palanque e ficar mais distante dos atletas, além de precisar de uma nota baixa, com isso o atleta Weslei Leite, que estava em segundo, remou para o meu lado pra me marcar, se defender e tentar impedir uma virada.”

O atleta então conclui: ”Mas graças a Deus veio uma onda boa, pequena, mas vi potencial pra conseguir a nota que precisava … dei duas rasgadas e uma batida na junção pra finalizar, foi na última onda e nos últimos segundos. E é isso, vamos pra cima, amanhã será outro dia e estou amarradão de ter passado.”

ESTREIA DE MEDINA – Nesta primeira rodada de 24 baterias, competem os surfistas que não estão bem ranqueados na World Surf League e as principais estrelas formam a lista dos 48 cabeças de chave que só entram na segunda fase. Os dois confrontos que abriram a terça-feira, definiram os primeiros adversários da maior atração desta edição do Oi Hang Loose Pro Contest, o bicampeão mundial Gabriel Medina.

Ele vai estrear na primeira bateria da segunda fase nesta quarta-feira, junto com um dos surfistas de Fernando de Noronha convidados pela Hang Loose, Patrick Tamberg. O primeiro a se classificar foi o costa-ricense Tomas King, que venceu a bateria estrangeira com o havaiano Benji Brand e o francês Adrien Toyon. Ela marcou oficialmente o retorno do evento que foi disputado por treze anos consecutivos na Cacimba do Padre, de 2000 a 2012.

“Um amigo já tinha me falado que eu iria para a bateria do Medina se ganhasse, então eu já sabia e fico feliz por isso”, disse Tomas King. “Vai ser legal enfrentar o campeão mundial e eu vou tentar fazer o meu melhor. Eu quero me classificar para o CT e os pontos aqui são importantes para isso. Não entraram muitas ondas na bateria, mas consegui surfar algumas e espero que na próxima tenha mais tubos. Estou ansioso já para amanhã (quarta-feira)”.

A outra vaga para completar a bateria de Gabriel Medina com Patrick Tamberg e Tomas King, foi definida no primeiro confronto 100% brasileiro do Oi Hang Loose Pro Contest. O carioca Pedro Neves pegou boas ondas para escapar de encarar o bicampeão mundial com a vitória. Os outros três surfistas ficaram brigando pelo segundo lugar e o jovem potiguar Mateus Sena, 16 anos apenas, levou a melhor sobre o paulista Vitor Mendes e o baiano Franklin Serpa.

“Está bem complicado o mar, a bateria teve poucas oportunidades de tubos, eu só tive uma, mas fui com a estratégia de somar pontos no início para me classificar e estou feliz que deu tudo certo”, disse Mateus Sena, que falou sobre competir com Medina. “Para ser bem sincero, eu vou realizar um sonho. Acho que para a maioria dos competidores aqui, é um sonho competir com o Gabriel (Medina). Eu já estou louco pra entrar na água e soltar o meu surfe para tentar até ganhar dele, nunca se sabe. Mas, é uma bateria que eu quero passar”.


Hizunome Bettero – Foto : Smorigo

BATERIAS DO OI HANG LOOSE PRO CONTEST QS 6000:

PRIMEIRA FASE – 3.o=97.o lugar com 120 pontos e 4.o=121.o lugar com 75 pts:

1.a: 1-Tomas King (CRI), 2-Benji Brand (HAV), 3-Adrien Toyon (FRA)

2.a: 1-Pedro Neves (BRA), 2-Mateus Sena (BRA), 3-Vitor Mendes (BRA), 4-Franklin Serpa (BRA)

3.a: 1-Nolan Rapoza (EUA), 2-Fernando Junior (BRA), 3-Junior Lagosta (BRA), 4-Facundo Arreyes (ARG)

4.a: 1-Samuel Igo (BRA), 2-Eithan Osborne (EUA), 3-Cole Alves (HAV), 4-Daniel Ostrowski (BRA)

5.a: 1-Eduardo Motta (BRA), 2-Nicolas Vargas (CHL), 3-Jordan Lawler (AUS)

6.a: 1-Miguel Blanco (PRT), 2-Lysandro Leandro (BRA), 3-Wesley Leite (BRA), 4-Luan Hanada (BRA)

7.a: 2-Harley Ross (AUS), 2-Madson Costa (BRA), 3-Alex Lima (BRA), 4-Luan Carvalho (BRA)

8.a: 1-Tomas Tudela (PER), 2-Vitor Ferreira (BRA), w.o-Te Kehukehu Butler (NZL)

9.a: 1-Marc Lacomare (FRA), 2-Gabriel Farias (BRA), 3-Alan Donato (BRA), 4-Pedro Scooby (BRA)

10: 1-Hizunomê Bettero (BRA), 2-Marcos Correa (BRA), 3-Renan Hanada (BRA), 4-Pedro Dib (BRA)

11: 1-Renan Peres (BRA), 2-Charly Quivront (FRA), 3-Matheus Navarro (BRA), 4-João Jucoski (BRA)

12: 1-Luis Perloiro (PRT), 2-Tristan Guilbaud (FRA), 3-Buday Santos (BRA), 4-Adrian Garcia (PER)

13: 1-Bernardo Pigmeu (BRA), 2-Luke Dillon (ING), 3-John Mel (EUA), 4-Cuca Souza (BRA)

14: 1-Heitor Alves (BRA), 2-Wesley Santos (BRA), 3-Ryan Kainalo (BRA), 4-Daniel Adisaka (BRA)

15: 1-Douglas Silva (BRA), 2-Ian Gentil (HAV), 3-Mason Ho (HAV), 4-Paulo Moura (BRA)

16: 1-Robson Santos (BRA), 2-Thiago Guimarães (BRA), 3-Ruben Vitoria (ESP), 4-José Miranda Barbosa (BRA)

17: 1-Joshua Burke (BRB), 2-Theo Fresia (BRA), 3-Netinho Silva (BRA), 4-Kim Matheus (BRA)

18: Jordy Collins (EUA), Yuri Gonçalves (BRA), Gustavo Bertotto (BRA), Brayner Silva (BRA)

———-baterias que vão abrir a quarta-feira às 7h00:

19: Marco Giorgi (URU), João Chianca (BRA), Jhonny Guerrero (PER), Nacho Sebastia (CNY)

20: Rafael Teixeira (BRA), Shelson Paishon (HAV), Lucas Vicente (BRA)

21: Joh Azuchi (JPN), Daiki Tanaka (JPN), Daniel Templar (BRA), Dunga Neto (BRA)

22: Luel Felipe (BRA), José Gundesen (ARG), Tamae Bettero (BRA), Marcelo Trekinho (BRA)

23: Tyler Gunter (EUA), Paul Cesar Distinguin (FRA), Gabriel Adisaka (BRA), André Gonçalves (BRA)

24: Michael Dunphy (EUA), Jhonny Corzo (MEX), Kaiki Yamanaka (JPN)

SEGUNDA FASE – entrada dos 48 cabeças de chave – 1.o e 2.o avançam:

——-3.o=49.o lugar (US$ 550 e 400 pts) e 4.o=73.o lugar (US$ 450 e 370 pts)

1.a: Gabriel Medina (BRA), Patrick Tamberg (BRA), Tomas King (CRI), Mateus Sena (BRA)

2.a: Alonso Correa (PER), Nat Young (EUA), Benji Brand (HAV), Pedro Neves (BRA)

3.a: Mateus Herdy (BRA), Imaikalani Devault (HAV), Nolan Rapoza (EUA), Eithan Osborne (EUA)

4.a: Reef Heazlewood (AUS), Ian Gouveia (BRA), Fernando Junior (BRA), Samuel Igo (BRA)

5.a: Jessé Mendes (BRA), Tomas Hermes (BRA), Eduardo Motta (BRA), Lysandro Leandro (BRA)

6.a: Carlos Munoz (CRI), Kiron Jabour (HAV), Nicolas Vargas (CHL), Miguel Blanco (PRT)

7.a: Jack Robinson (AUS), Lucca Mesinas (PER), Madson Costa (BRA), Vitor Ferreira (BRA)

8.a: Jadson André (BRA), Flavio Nakagima (BRA), Harley Ross (AUS), Tomas Tudela (PER)

9.a: Jorgann Couzinet (FRA), Jeronimo Vargas (BRA), Marc Lacomare (FRA), Marcos Correa (BRA)

10: Miguel Pupo (BRA), Ramzi Boukhiam (MAR), Gabriel Farias (BRA), Hizunomê Bettero (BRA)

11: Maxime Huscenot (FRA), Cam Richards (EUA), Renan Peres (BRA), Tristan Guilbaud (FRA)

12: Adin Masencamp (AFR), Wiggolly Dantas (BRA), Charly Quivront (FRA), Luis Perloiro (PRT)

13: Yago Dora (BRA), Samuel Pupo (BRA), Bernardo Pigmeu (BRA), Wesley Santos (BRA)

14: Alex Ribeiro (BRA), Joshua Moniz (HAV), Luke Dillon (ING), Heitor Alves (BRA)

15: Alejo Muniz (BRA), Krystian Kymerson (BRA), Douglas Silva (BRA), Thiago Guimarães (BRA)

16: Frederico Morais (PRT), Noe Mar McGonagle (CRI), Ian Gentil (HAV), Robson Santos (BRA)

17: Deivid Silva (BRA), Ian Crane (EUA),

18: Bino Lopes (BRA), Hiroto Ohhara (JPN),

19: Jake Marshall (EUA), Reo Inaba (JPN),

20: Peterson Crisanto (BRA), Victor Bernardo (BRA),

21: Evan Geiselman (EUA), Miguel Tudela (PER),

22: Vasco Ribeiro (PRT), Aritz Aranburu (ESP),

23: Thiago Camarão (BRA), Charles Martin (FRA),

24: Italo Ferreira (BRA), Caia Souza (BRA),

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram