Notícias

13/09 17h45

#Pagou Mico ! CBSurf não consegue passagens a tempo e Brasil está fora do Mundial da ISA

Faltando poucas horas para o prometido embarque, equipe brasileira é avisada que o Brasil não iria viajar mais para o Japão.

Tudo pronto para a equipe brasileira seguir rumo ao Japão para as disputas do mundial da ISA deste ano, que vai rolar entre os dias 15 e 22 de setembro, em Tahara, no país sede das Olimpíadas 2020 – evento inédito por marcar a estreia do surfe como esporte olímpico.


Lineup de Tahara, Japão. Foto: Tahara LOC.

Todos prontos e instigados para tentar o nosso 2º ouro na história do ISA Games. Só que não. Esse bilhete não é verdade e o assunto é mais do que sério.

Simplesmente a Confederação Brasileira de Surfe (CBSurf) não conseguiu resolver, junto ao COB, a questão das passagens e vistos. Segundo Adalvo Argolo, presidente da entidade, a agência responsável por providenciar as passagens para o Comitê Olímpico Brasileiro, só conseguiu voo com conexão nos EUA. Como alguns integrantes da equipe não tinham o visto norte-americano, a viagem ficou impossível de ser realizada.

Dá para ter noção do tamanho do absurdo? A nossa entidade máxima do surfe, responsável pela participação dos nossos atletas neste evento mundial, horas antes da prometida viagem, avisa, por whatsapp, que o Brasil ficará de fora do Japão.

Perderemos uma oportunidade única de competir neste evento que faz parte do ciclo olímpico do surfe. Uma preparação inestimável para os jogos de Tóquio. Uma chance para os atletas sentirem o gostinho e correrem atrás de seus pontos.

FELIPE TOLEDO TAMBÉM METEU A BOCA NO TROMBONE:

Abaixo o post e a mensagem compartilhadas por Jacqueline Silva (@jacquelinesilva79) em sua conta oficial do Instagram.

A mensagem compartilhada por Jacqueline, foi a mensagem enviada, através de um grupo de whatsapp criado entre dirigentes da CBS para comunicação com os surfistas da seleção, avisando que, poucas horas antes de teoricamente embarcarem, os surfistas não iriam mais competir no Japão.

A seleção brasileira seria composta por Ian Gouveia, Geovane Ferreira e Marcos Corrêa no masculino, e Anne dos Santos, Gilvanita Ferreira e Larissa dos Santos no feminino.

“O Brasil ficar de fora de um evento dessa proporção sendo hoje o pais do surf, é inaceitável!”, desabafa Jacqueline Silva.

“Ano passado eu fui representando a equipe feminina e também como competidora no ISA, na França. Aconteceu parecido, porém, embarcamos. Eu estava no Rio sem saber o dia que ia viajar. Tínhamos prazo pra sair e um dia antes compraram as passagens que custaram uma fortuna”, revela a vice-campeã mundial de 2002 e campeão brasileira de 2015.

O post gerou, evidentemente, muita indignação. Um usuário apontou para um trecho da mensagem da CBS que diz: “Nos últimos 45 dias Adalvo e eu estamos trabalhando neste projeto dia e noite”. Segundo ele, “isso não deveria ter começado há 45 dias… Há 45 dias os vistos já deveriam estar na mão…”.


Adalvo Argolo, presidente da CBSurf desde 2009. Foto: Frame.

É bem verdade que as vagas foram definidas após a 2ª etapa do CBSurf Pro, que rolou em Maresias entre os dias 10 e 12 de agosto. Mas, segundo fontes, a demora no processo para obtenção dos vistos já é mais do que conhecida e deveria ter sido feita bem antes. Será que a CBS não tinha esse planejamento? Não poderiam, então, antecipar a data da 2ª etapa, para ter mais tempo hábil para realizar todos os trâmites para obtenções de vistos, passagens e hospedagens?

Sem contar que, de acordo com o relato da experiente Jacqueline Silva, o problema já havia acontecido no ano anterior. Portanto, não dá para dizer que foram pegos de surpresa.

Até o legend brasileiro Fábio Gouveia deixou seu recado. Curto, porém preciso: “Triste. Mico to the max!” – traduzindo: Mico ao máximo!


Equipe brasileira na França. Foto: Gabriel Macedo / CBSurf.


Posição do COB –
 Em email enviado ao renomado site Waves.com.br na tarde desta quinta-feira, o Comitê Olímpico Brasileiro deu a sua posição sobre o cancelamento da participação brasileira no ISA Games. Confira a nota abaixo:

“O COB aprovou a liberação de verba para o projeto apresentado pela CBSurf para o ISA Games no dia 17 de julho, com previsão de repasse de recurso e início da execução do projeto pela CBSurf em 1º de agosto. No entanto, na data prevista para repasse, a CBSurf estava impossibilitada de receber recursos da Lei Agnelo/Piva por não ter apresentado documentos necessários e obrigatórios para prestação de contas de projetos anteriores.”

Este é apenas mais um capítulo de estranhos acontecimentos nesta gestão Adalvo Argolo, que já dura quase 10 anos.

É bom abrirem o olho para o bem do nosso esporte. As Olimpíadas estão logo ali…

Mico to the Max!

Por: Iuri Corsini – Fonte: Rico Surf

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram