Notícias

05/09 21h46

Homens e mulheres terão premiações iguais na WSL

A World Surf League anuncia igualdade na premiação dos homens e mulheres a partir de 2019 nos eventos por ela controlados, como o Championship Tour, Longboard, Pro Junior e Big Wave Tour

A World Surf League divulgou uma grande novidade nessa semana, a de que a partir de 2019 todos os eventos organizados diretamente pela WSL terão premiações iguais para os atletas das categorias masculina e feminina. Será a primeira e única liga esportiva global com sede nos Estados Unidos, a promover a igualdade da premiação em dinheiro para homens e mulheres. A WSL está orgulhosa do seu compromisso com a igualdade de gêneros e por se unir a outras organizações além do mundo do esporte, com este importante marco histórico.

“Este é um passo à frente enorme em nossa estratégia há muito tempo planejada, de elevar o nível do surfe feminino, então estamos entusiasmados em assumir esse compromisso já a partir da temporada 2019”, disse a CEO da WSL, Sophie Goldschmidt. “Esta é a mais recente de uma série de ações que a Liga se comprometeu trabalhar para nossas atletas do sexo feminino, desde competir na mesma qualidade de ondas que os homens, até melhores locações e mais apoio e investimento no surfe feminino”.

“Esta mudança era simplesmente a coisa certa a fazer pela WSL e gostaríamos de agradecer aos muitos defensores que trabalharam durante décadas para ajudar a promover o surfe feminino”, continua Sophie Goldschmidt. “Queremos estar na vanguarda de pressionar pela igualdade em todas as esferas da vida, começando pelas ondas. Nos sentimos muito sortudos de termos mulheres em nosso circuito que são modelos talentosos e icônicos, então mais do que merecem esse reconhecimento de igualdade aos nossos extraordinários atletas masculinos”.

A hexacampeã mundial Stephanie Gilmore, festejou a novidade: “Isso é incrível e estou muito feliz. O prêmio em dinheiro é fantástico, mas a mensagem significa muito mais. A partir do momento em que a atual diretoria da WSL assumiu, a situação das surfistas mulheres se transformou para melhor em todos os sentidos. Espero que isso sirva de modelo para outros esportes, organizações globais e para a sociedade como um todo. Todas nós atletas estamos honradas com a confiança em nós e inspiradas para recompensar essa decisão com níveis cada mais altos de surfe”.

O onze vezes campeão mundial Kelly Salter também comentou sobre a decisão inédita da WSL: “As mulheres que correm o circuito merecem essa mudança. Tenho muito orgulho de que o surfe esteja optando por liderar a igualdade e justiça no esporte. As atletas do surfe feminino da WSL estão igualmente comprometidas com seu ofício como os do masculino, então devem receber o mesmo pagamento nas premiações. O surfe sempre foi um esporte pioneiro e esse é mais um exemplo disso”.

O comissário da WSL, Kieren Perrow, destacou: “Hoje é um momento histórico para o nosso esporte, surfe. Além do nosso calendário de 2019 com novas datas, estamos orgulhosos de confirmar que a igualdade de prêmios já estará em vigor na próxima temporada. Isso abrange todos os eventos controlados pela WSL, o Championship Tour, Longboard Tour, World Junior Championships e o Big Wave Tour de 1.o de outubro a março de 2019. Estaremos trabalhando com nossos parceiros organizadores de campeonatos que nós não controlamos a premiação, como os eventos do Qualifying Series, para alcançar a igualdade total o quanto antes”.  

A World Surf League vai se firmando como uma das ligas esportivas de crescimento mais rápido no mundo, expandindo continuamente seu alcance e base de fãs. O conteúdo da WSL e as transmissões ao vivo agora estão disponíveis digitalmente em várias plataformas e com mais de 100 emissoras cobrindo seus eventos, inclusive o evento inovador desta semana na onda criada pelo homem no Surf Ranch. O surfe também foi adicionado oficialmente à lista dos Jogos Olímpicos de Toquio 2020, introduzindo o esporte para novos públicos.

Para apoiar ainda mais seu compromisso com o surfe feminino, hoje a WSL também anuncia três iniciativas que serão lançadas em 2019:

– uma campanha de marketing global para destacar o circuito feminino, além de aumentar a visualização dos eventos e o envolvimento dos fãs

– Um programa local de envolvimento da comunidade para meninas em todo o mundo, com clínicas instrucionais com atletas da WSL em cada etapa feminina do Championship Tour para inspirar novas gerações a abraçar o surfe

– Uma série de conteúdos mensais sobre as mulheres pioneiras do surfe, celebrando-as nos canais da WSL, começando na próxima semana com a heptacampeã mundial Layne Beachley

APÊNDICE

A World Surf League continua apresentando os melhores surfistas do mundo nas melhores ondas do mundo, criando eventos inclusivos, emocionantes e de alta qualidade, desfrutados por milhares de fãs em todo o mundo. Um foco importante nos últimos anos tem sido aumentar o investimento no surfe feminino:

– Eventos combinados com homens e mulheres competindo juntos aumentaram de quatro para nove

– A premiação em dinheiro nas etapas femininas aumentou 153%

– 64 eventos globais para mulheres estão programados para 2019

– A inclusão de dois eventos históricos do Big Wave Tour em Pe´ahi e Mavericks

– Nomeação do primeiro CEO feminino na WSL em 2017

– Na estreia da Founders´ Cup, competição especial por países no Surf Ranch, várias equipes com capitães do sexo feminino

Cronograma de investimento da WSL para o surfe feminino até o momento:

– em 2013 eram oito eventos do Championship Tour feminino e a WSL agora investe em dez, incluindo locais de classe mundial como Jeffreys Bay, Fiji e agora Bali, Trestles e agora Surf Ranch e Maui

– Desde 2013, o prêmio em dinheiro por evento no CT feminino aumentou em 153%

– em 2014, é estabelecida pela WSL a paridade dos prêmios para o Champioship Tour masculino e feminino, com todos os competidores, homens e mulheres, ganhando o mesmo prêmio médio em dinheiro por surfista

– em 2016, as mulheres passam a competir no Big Wave Tour em Pe´ahi pela primeira vez

– em 2017, a WSL nomeia a sua primeira CEO, Sophie Goldschmidt

– em 2018, a WSL promove a Founders´ Cup, competição de equipes representando regiões

– em 2018, dois eventos do Big Wave Tour para mulheres, em Pe´ahi e Mavericks

– em 2019, igualdade de prêmios em dinheiro nas etapas do Champioship Tour, Longboard Tour, World Junior Championships e Big Wave Tour a partir de 1.o de outubro de 2018 até março de 2019

– Futuro: trabalhar pela instituição de igualdade da premiação com os parceiros organizadores dos eventos do Qualifying Series (QS) e Pro Junior que não são controlados pela WSL

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram