Notícias

20/08 15h14

Sigam os líderes ! Brasil assume liderança, vice-liderança e quarto lugar!


Filipe Toledo (esq) ou Medina (dir.) ?

Na reta final do mundial de surf 2018, faltando apenas 4 etapas para decidirmos o novo campeão mundial, o Brasil assume a liderança de forma incontestável no ranking do WT (World Tour), a primeira divisão do surf mundial.

Filipe Toledo está na liderança há 2 etapas e segue na primeira colocação. Mas o inspirado Gabriel Medina, que ficou engasgado com a derrota no ano passado para o John John Florence, parece que acordou.

Chegou ”chegando” no Tahiti e não deu chances para nenhum adversário que passou pela sua frente, encostando agora no Filipinho que vai começar a sentir a pressão do compatriota e competitivo Medina.

Essa disputa será acirrada, pois temos pelo caminho etapas onde ambos são grandes surfistas, obtiveram ótimos resultados e estão aptos a vencerem.

Na piscina de ondas do Kelly Slater, próxima etapa (06 a 09 de setembro), Gabriel Medina já foi campeão, o primeiro a ganhar um evento da WSL, mesmo sendo teste, Filipe em segundo neste evento. Em seguida, meses depois, Filipe Toledo  surfou lá também em outro evento de competição por equipe e destoou dos demais, mostrando um surf diferenciado, moderno e inovador.


Medina e Toledo na premiação do primeiro evento na piscina de ondas

Os dois com grandes chances!

Na Europa nem precisamos falar do histórico do Medina, que inclusive venceu os dois no ano passado (França e Portugal). Mas ele não pode dar mole, pois Filipe, na nossa opinião, chegou em 2018 um novo surfista, um novo competidor, bem diferente de tudo que vimos até agora. Ou melhor, do jeito que esperávamos que ele chegaria em sua maturidade. Filipe já venceu em Portugal, mas ano passado não fez uma boa apresentação.
Mas, pelo andar da carruagem, não podemos contar com isso para apontar o futuro vencedor, pois Toledo anda imbatível.

Para finalizar vem Pipeline, casa do Medina, um pico onde ele se sente confortável e conhecer muito bem os caminhos dos barrel enormes daquele pico Havaiano.
Só não podemos esquecer que para backdoor vem Filipe, muito maduro e consistente. Com sede de vitória e brigando pela camisa amarela com unhas e dentes.

Se falarmos de histórico Medina tem mais chances de dar a volta por cima e assumir a liderança, mas, que vive de história também é museu, 2018 vem aí uma nova história sendo contada no surf mundial.

BRASILEIROS LIDERAM

Nunca em nenhuma momento da história do surf mundial pudemos imaginar que o Brasil seria a maioria nos tops 5 do ranking.

Nunca também poderíamos imaginar que os brasileiros venceriam todas, ou melhor, quase todas as etapas do ano principalmente nos eventos principais do WT. Incrível! O Brasil se tornou o país do surf, sem sombra de dúvida.

Conforme veremos abaixo, somente o primeiro evento do ano, na Austrália, que não levamos o caneco.


Brasileiros dominam o mundial de surf em número de vitórias.

De lá para cá, foi tudo nosso!

JULIAN WILSON

Vale lembrar que apesar de estarmos empolgados, Julian Wilson é um atleta muito perigoso e que merece respeito nas próximas etapas. Surfa demais, muito experiente e já obteve grandes resultados em todos os países onde a elite passará nos próximos meses, inclusive em Pipeline no Hawaii, onde provavelmente poderá ser decidido o título mundial.

Tem muita água pra rolar, mas não podíamos deixar de destacar esse momento incrível que o surf nacional está passando. Principalmente pra galera que surfa há alguns anos, poder viver isso é algo quase inimaginável.


Dos tops 5 do mundo, três são brasileiros.

Quando um Brasileiro terminava no ranking entre os top 10 já era motivo de orgulho nacional, ficávamos hiper felizes e com todos os motivos.

Era o surf brasileiro sendo construído. Cada surfista da antiga, com cabelos brancos, ou que até nem surfem mais direito, precisaram superar preconceitos, passar por cima de muitas coisas para poder pegar onda. Não existia previsão do mar, site, muito menos Whatsapp pra galera falar: vem que tá show!

Tudo era feito no instinto, no feeling, no peito e na coragem.

A esses caras, nosso sincero respeito e agradecimento, pois graças a eles estamos vivendo algo incrível e quase irreversível.

Finalizamos então dizendo o seguinte,
o Brasil é o país do surf, isso sim!
Desculpa aí futebol …

SURF BRASILEIRO É CAPA DOS PRINCIPAIS JORNAIS E SITES

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram