Notícias

13/08 12h30

Filipe Toledo brilha na abertura do Tahiti Pro Teahupoo

Filipe foi o melhor do domingo e Gabriel Medina, Italo Ferreira, Adriano de Souza e Wiggolly Dantas também já passaram para a terceira fase


Adriano De Souza, Mineirinho, avança para o Round 03

O Tahiti Pro Teahupoo abriu a sétima etapa do World Surf League Championship Tour com os brasileiros se destacando nas ondas de 4-6 pés do domingo na bancada mais perigosa do Circuito Mundial. Gabriel Medina foi o primeiro a brilhar com um aéreo que valeu 7,83, mas Filipe Toledo surfou o melhor tubo para fazer os recordes do dia, nota 8,50 e 15,50 pontos. Além deles, Italo Ferreira e Adriano de Souza também estrearam com vitórias e Wiggolly Dantas conquistou a quinta classificação brasileira para a terceira fase, no duelo verde-amarelo com Willian Cardoso pela repescagem que fechou o domingo no Taiti.

Neste confronto, Willian surfou um tubaço no último minuto que os juízes deram nota 7,17, porém precisava de seis centésimos a mais e o catarinense deve perder a sétima posição no ranking com a derrota por 13,00 a 12,94 pontos. O paulista Wiggolly Dantas fez parte da elite até o ano passado e foi chamado para substituir um dos três tops contundidos, mas essa não foi a única surpresa. A repescagem já começou com o defensor do título do Tahiti Pro Teahupoo e vice-líder do ranking, Julian Wilson, sendo barrado pelo taitiano Tikanui Smith.

Ele era o único que poderia tirar a lycra amarela do Jeep Leaderboard de Filipe Toledo nessa etapa e o brasileiro confirmou o favoritismo, fazendo a melhor apresentação do primeiro dia. Ele entrou no mar junto com o catarinense Yago Dora e Tikanui Smith, logo após Julian Wilson ser mandado para a repescagem pelo também australiano Joel Parkinson. O taitiano ganhou a vaga de convidado na triagem do brasileiro Bruno Santos, mas não achou nada de ondas contra Filipe e Yago e ficou em último na bateria.


Filipe Toledo até o momento se mantém líder do ranking com a derrota de Julian Wilson

Já Filipe largou na frente surfando bem suas duas primeiras ondas que valeram 6,57 e 7,00. Mas, ainda pegou um tubaço que foi o melhor do domingo, comprovado pela nota 8,5 dos juízes, a maior do dia. Com ela, o número 1 do Jeep Leaderboard superou todos os recordes que Gabriel Medina, vice-campeão na decisão do ano passado em Teahupoo com Julian Wilson, tinha feito duas baterias antes.

“As ondas estão pequenas aqui para Teahupoo hoje (domingo), mas ainda aparecem alguns tubos e consegui achar um muito bom, então estou feliz em avançar direto para a terceira fase”, disse Filipe Toledo, que chegou duas semanas antes no Taiti para treinar mais em Teahupoo. “Foi muito bom ter vindo antes para me familiarizar melhor com a onda e a bancada (de corais) e também porque peguei altas ondas. Foi ótimo começar vencendo minha primeira bateria e espero ter mais ondas boas para surfar na próxima”.

CAÇA AO VICE-LÍDER – Com a eliminação do australiano, Medina e o potiguar Italo Ferreira podem lhe tirar o segundo lugar no ranking se chegarem na final do Tahiti Pro Teahupoo. Italo foi o primeiro recordista do dia, com os 14,84 pontos que totalizou somando notas 7,57 e 7,27 na terceira bateria, contra o havaiano Sebastian Zietz e o paulista Miguel Pupo. A quarta foi 100% brasileira e Gabriel Medina acertou um aéreo incrível que arrancou 7,83 dos juízes para atingir 15,16 pontos na vitória sobre Wiggolly Dantas e o catarinense Tomas Hermes.

“As ondas estão um pouco devagar, mas estão bem divertidas e de qualquer maneira eu adoro o Taiti”, disse Gabriel Medina, que já foi campeão em Teahupoo em 2014 e vice-campeão no ano passado. “As condições estão diferentes, não tem muitos tubos, pelo menos na minha bateria, então hoje foi mais manobras e só tentei fazer o meu melhor nas ondas que surfei”.


Gabriel Medina sempre favorito na etapa do Tahiti

Depois das vitórias dos ponteiros do ranking, Filipe Toledo estreando com a lycra amarela do Jeep Leaderboard, Gabriel Medina em terceiro lugar, seguido por Italo Ferreira, apenas mais um brasileiro passou direto para a terceira fase, o campeão mundial Adriano de Souza. Mineirinho entrou na nona bateria do dia e só surfou duas ondas para superar dois australianos por uma pequena diferença de 12,96 a 12,17 pontos sobre Matt Wilkinson, com Mikael Wright ficando em terceiro com 11,17.

REPESCAGEM – A quinta classificação brasileira para a terceira fase aconteceu na repescagem, com as três primeiras baterias eliminatórias do Tahiti Pro Teahupoo fechando o domingo na Polinésia Francesa. As condições estavam difíceis para competir, com poucas ondas boas entrando nas baterias e sem muitos tubos. A surpreendente vitória do taitiano Tikanui Smith sobre o defensor do título, Julian Wilson, foi por apenas 7,67 a 5,83 pontos.

Mas, na disputa seguinte entraram mais ondas e o sul-africano Jordy Smith totalizou 14,10 pontos contra o outro convidado do Taiti, Mateia Hiquily. No duelo brasileiro que fechou o domingo, os dois também acharam os tubos e foi uma batalha onda a onda desde o início até o último minuto. O paulista Wiggolly Dantas somou duas notas 6,50 e o catarinense Willian Cardoso pegou o maior e mais profundo tubo da bateria no final. Ele vibrou quando completou a onda, mas não conseguiu reverter o resultado encerrado em 13,00 a 12,94 pontos.


A lesão do Ítalo Ferreira no US OPEN ficou para trás, ele avança direto pro round 03

PRÓXIMAS BATERIAS – Outro duelo brasileiro também foi formado para fechar a repescagem, entre dois catarinenses que estão estreando na elite do CT este ano, Tomas Hermes e Yago Dora. Eles vão disputar a última vaga para a terceira fase do Tahiti Pro Teahupoo e mais dois estão escalados nas baterias que ficaram para abrir a segunda-feira, as 7h00 no Taiti, 14h00 no Brasil. Na primeira do dia, o paulista Miguel Pupo enfrenta o australiano Mikey Wright e o pernambucano Ian Gouveia entra na segunda com o norte-americano Griffin Colapinto.

Depois, tem o cearense Michael Rodrigues na oitava bateria da repescagem, a quinta a entrar no mar na segunda-feira, com Keanu Asing e o paulista Jessé Mendes na 11.a com outro havaiano, Sebastian Zietz, antes do confronto catarinense entre Tomas Hermes e Yago Dora. Tomas defende a 22.a e última posição no grupo que permanece na elite para o ano que vem e Yago tenta entrar na zona de classificação, pois está em 26.o no ranking.

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=25.o lugar com 420 pontos e US$ 10.000:

———últimos resultados do domingo:

1.a: Tikanui Smith (TAH) 7.67 x 5.83 Julian Wilson (AUS)

2.a: Jordy Smith (AFR) 14.10 x 6.67 Mateia Hiquily (TAH)

3.a: Wiggolly Dantas (BRA) 13.00 x 12.94 Willian Cardoso (BRA)

———ficaram para abrir a segunda-feira:

4.a: Mikey Wright (AUS) x Miguel Pupo (BRA)

5.a: Griffin Colapinto (EUA) x Ian Gouveia (BRA)

6.a: Owen Wright (AUS) x Joan Duru (FRA)

7.a: Conner Coffin (EUA) x Michael February (AFR)

8.a: Michael Rodrigues (BRA) x Keanu Asing (HAV)

9.a: Kanoa Igarashi (JPN) x Matt Wilkinson (AUS)

10: Jeremy Flores (FRA) x Patrick Gudauskas (EUA)

11: Sebastian Zietz (HAV) x Jessé Mendes (BRA)

12: Tomas Hermes (BRA) x Yago Dora (BRA)

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram