Notícias

04/01 18h38

Qual o surfista ganhou mais dinheiro em 2016?

Tem dois brasileiros na lista milionária

Que os surfistas do Circuito Mundial de Surfe são muito bem remunerados, todos sabem. A cada etapa – são 11 no total – a Liga Mundial de Surfe (WSL) distribui US$ 100 mil para o campeão, o equivalente a R$ 350 mil. Para quem perde na estreia e também na repescagem, a bagatela “simbólica” é de US$ 9 mil, cerca de R$ 31 mil. Além da premiação, cada atleta conta com patrocinadores, que pagam para associar sua marca à imagem do surfista. Diante da curiosidade sobre os cofres mais robustos do Circuito, a Stab Magazine, revista eletrônica especializada australiana, publicou uma lista polêmica sobre o faturamento dos 10 surfistas mais bem pagos em 2016.

layout-comentarios
Campeão mundial, John John Florence desfila em carro aberto no North Shore da ilha de Oahu (Foto: WSL / Freesurf / Heff)

Como de se esperar, o campeão mundial John John Florence encabeça a lista. Segundo a Stab, o havaiano faturou US$ 6.1 milhões durante o ano, o equivalente a R$ 21.350 milhões. Destes, US$ 631 mil (R$ 2.200 milhões) apenas de premiação da WSL. Neste suposto valor está incluso o bônus pelo título.

– John John fatura, atualmente, 700 dólares por hora, mesmo quando está dormindo – brincou o site.

Atrás de John John Florence, segundo a publicação, está Gabriel Medina. O brasileiro embolsou US$ 5.5 milhões neste ano (R$ 19,250 milhões), mesmo tendo terminado em terceiro do ranking. Deste valor, US$ 282 mil (R$ 987 mil) seriam oriundos de premiações. Em 2015, Medina foi considerado pela revista americana “Time” como uma das 100 personalidades mais influentes do mundo.

298295_655039_02medinagabrielsmorigo_rugraeb
Gabriel Medina QS Florianópolis (Foto: Daniel Smorigo/WSL)

Outro brasileiro que aparece na lista da Stab Magazine é Filipe Toledo. Em sétimo lugar, com US$ 1.6 milhão (R$ 6,5 milhões) de faturamento (US$ 138 mil em prêmios), o surfista de Ubatuba, de 21 anos, em é o mais jovem atleta da lista.

A australiana Stephanie Gilmore, hexa campeã mundial e a havaiana Carissa Moore, tri campeã mundial, são as duas figuras femininas da lista, em sétimo e oitavo lugares, respectivamente.

A curiosidade é a não aparição do nome de Kelly Slater nesta lista. Segundo a Stab, a fonte de rendimento do 11 vezes campeão mundial é uma incógnita, pois tem negócios pessoais.

Confira a lista dos surfistas mais bem pagos do mundo em 2016 (segundo Stab Magazine) 

1 John John Florence (HAV) US$ 6.1 milhões
2 Gabriel Medina (BRA) US$ 5.5 milhões
3 Jordy Smith (AFR) US$ 3 milhões
4 Mick Fanning (AUS) US$ 2.8 milhões
5 Kolohe Andino (EUA) US$ 2.6 milhões
6 Julian Wilson (AUS) US$ 2.3 milhões
7 Filipe Toledo (BRA) US$ 1.6 milhão
8 Stephanie Gilmore (AUS) US$ 1.4 milhão
9 Carissa Moore (HAV) US$ 1.1 milhão
10 Jack Freestone (AUS) US$ 1 milhão

Fonte: Globo Esporte / Stab

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram