Notícias

18/01 19h19

Capixaba entra para história do Body Board

Magno de Oliveira Passos, de 31 anos, pega paredão de 14m em Jaws

(Magno de Oliveira Passos surfando de bodyboard em Jaws (Foto: Divulgação/Lynton Productions)

O bodyboarder brasileiro Magno de Oliveira Passos entrou para a história da modalidade no último fim de semana. O capixaba de 31 anos encarou os paredões de Jaws, no Havaí, em um dos maiores swells dos últimos anos, apenas na remada. Ao lado de outros surfistas e do também bodyboarder do Espírito Santo Lucas Caiado, Magno remou para dropar uma onda de 14 metros, considerada por muitos especialistas havaianos como a maior já surfada de bodyboard no mundo sem a ajuda de um jet-ski. O feito foi comentado por toda a comunidade do surfe mundial. No mesmo dia em que Maguinho mostrou coragem, nomes como Kelly Slater, John John Florence e big riders de reconhecimento internacional como o brasileiro Felipe “Gordo” Cesarano também estavam em Jaws.

maguinho2
Magno de Oliveira Passos surfando de bodyboard em Jaws (Foto: Cuda Shots/Divulgação)

O feito de Magno não teve ajuda de nenhuma estrutura. Eram apenas ele e sua prancha. O bodyboarder não contava sequer com um colete salva-vidas que poderia levá-lo de volta para a superfície caso fosse sugado por Jaws. Além disso, ele perdeu um dos pés de pato ao entrar na onda. Por isso, acabou terminando a onda com apenas um e não se arriscou de tentar outro paredão, o que para ele, seria impossível na remada. A falta de vento, contudo, ajudou, pois para o bodyboard a prática fica praticamente impossível com condições de vento forte.

– Eu não usei nem colete nesse dia. Não tenho. Todo o surfista que estava lá tinha o colete inflável para te levar para a superfície caso a onda te jogue para baixo. Quero me especializar mais nesse tipo de esporte. Não tinha nenhum jet-ski me esperando. Fui na coragem, na vontade, na fé. O cara do surfe tem uma prancha de dez pés, 15 pés, ele dá duas remadas e me passa. Eu tenho que dar dez para me movimentar a mesma distância que ele. Isso já te tira muito gás. Além disso, para surfar uma onda dessas eu preciso ficar uns dez metros de distância deles, para baixo. Surfar Jaws de bodyboard é único. A minha prancha tem 105cm, os caras surfam com uma prancha de quase cinco metros. Olha a diferença. Ainda não temos material no bodyboard para esse tipo de prática – garante Maguinho.

Fonte: Globo.com

 

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

Ministro veta entrada de Slater na Austrália sem vacina: “Sabe as regras”

continue lendo

51 ICE é nova patrocinadora da WSL no Brasil

Com posicionamentos relacionados ao surfe, 51 ICE estará no Oi…

continue lendo

WSL terá recorde de marcas em 2022

Escritório da América Latina confirmou participação de 11 empresas na…

continue lendo

Calendário do CT 2022 – WSL

A WSL (World Surf League) divulgou na última quarta-feira, 4…

continue lendo

Comentários:

Instagram