Notícias

05/01 20h53

Mundial Junior da WSL segue sem vitórias sul-americanas em Portugal

Lucas Silveira chegou a ganhar a maior nota - 9,17 - do Ericeira World Junior Championships, mas ele e mais três brasileiros e os dois peruanos estrearam com derrotas e vão ter que encarar a repescagem

Em outro dia de mar difícil, com muito vento e ondas de 3-4 pés na Praia dos Pescadores, foram realizadas mais nove baterias da primeira fase masculina do Ericeira WSL Junior Championships e as três últimas ficaram para abrir o próximo dia em Portugal. Dos oito integrantes da equipe sul-americana da WSL South America, seis estrearam na terça-feira e todos perderam. O carioca Lucas Silveira até arrancou a maior nota do campeonato – 9,17 – e o catarinense Luan Wood também chegou perto da vitória, mas ambos vão ter que encarar a repescagem para tentar avançar para a terceira fase, mesmo caminho a ser seguido pelos paulistas Deivid Silva e Victor Bernardo e os peruanos Juninho Urcia e Alonso Correa.

Lucas Silveira (RJ) (Poullenot / WSL)

Lucas Silveira (RJ) (Poullenot / WSL)

A esperança da primeira vitória sul-americana ficou então para os dois catarinenses que estão escalados nas baterias que vão fechar a rodada de apresentação dos 48 concorrentes ao título mundial Pro Junior da World Surf League em Ericeira. Yago Dora enfrenta o norte-americano Noah Schweizer e o havaiano Elijah Gates no confronto que vai abrir a quarta-feira, com transmissão ao vivo pelo www.worldsurfleague.com. A primeira chamada do dia foi marcada para as 7h45 em Portugal, 5h45 pelo fuso horário de Brasília. Já Alcides Lopes vai disputar a última vaga direta para a terceira fase com o havaiano Seth Moniz e o americano Daniel Glenn.

Quem chegou mais perto desse objetivo na terça-feira foi o brasileiro Lucas Silveira. O carioca fez a melhor apresentação do ano na Praia dos Pescadores, recebeu a maior nota do Ericeira World Junior Championships em sua última onda, mas o 9,17 não foi suficiente para superar os 16,50 pontos das notas 9,03 e 7,47 do australiano Jacob Willcox. Lucas acabou computando um 6,87 e terminou em segundo lugar com 16,04 pontos, contra 13,93 do japonês Kan Watanabe, último colocado nesta 11.a bateria.

Na disputa seguinte, o catarinense Luan Wood também quase conseguiu a classificação direta para a terceira fase. Ele e Hiroto Arai começaram bem, com o brasileiro ganhando nota 8,17 na sua primeira onda e o japonês largando na frente com 9,10. Na segunda, Luan foi um pouco melhor e recebeu 5,83, mas Hiroto se manteve na ponta com 5,03. O catarinense ficou precisando de uma nota 5,97 para ultrapassar os 14,13 pontos do japonês, porém o máximo que conseguiu foi 5,57 em sua última onda, não conseguindo aumentar os seus 14,00 pontos. Já o peruano Alonso Correa só surfou uma regular e ficou em último com 10,73.

“Eu nunca consegui passar da terceira fase e quero melhorar isso esse ano”, disse Hiroto Arai, que participa do Mundial Pro Junior da World Surf League pela sexta vez. “A água do mar lá no Japão é muito mais fria agora, então estou me sentindo bem aqui e procurando me divertir. Eu fiquei um pouco nervoso na bateria porque não tinha surfado nada nos primeiros dez minutos. Os outros caras estavam mais ativos, mas felizmente eu peguei aquela onda boa que valeu mais de nove e me deixou mais confiante”.

O paulista Victor Bernardo estreou na bateria que fechou a terça-feira em Ericeira e também terminou em segundo lugar, totalizando 12,10 pontos contra 15,60 do sul-africano Matthew McGillivray. Na mesma posição ficou o bicampeão sul-americano Pro Junior da WSL South America, Deivid Silva. Ele foi o primeiro brasileiro a se apresentar na Praia dos Pescadores, mas somou duas notas 5,17 contra 9,00 e 6,83 do italiano Leonardo Fioravanti na quarta bateria do dia. Na quinta, o peruano Juninho Urcia ficou em último na disputa vencida por Tomas Fernandes, único participante de Portugal na categoria masculina do Ericeira World Junior Championships.

“Eu nasci aqui em Ericeira, então estou amarradão por poder competir aqui novamente e fiquei muito feliz por ver tanta gente na praia para assistir a minha bateria”, disse Tomas Fernandes. “No ano passado, foi a primeira vez que participei do Mundial Junior da WSL e foi incrível ter conseguido chegar nas semifinais e ter ficado em terceiro lugar, então este ano quero tentar fazer melhor ainda”.

Pelo segundo ano consecutivo, os títulos mundiais da categoria Pro Junior da World Surf League para surfistas com até 20 anos de idade, estão sendo disputados em Ericeira. O Brasil é o recordista com seis títulos em dezesseis edições. O primeiro foi conquistado por Pedro Henrique no ano 2000, depois Adriano de Souza venceu o de 2003, Pablo Paulino foi bicampeão em 2004 e 2007, Caio Ibelli ganhou em 2011 e Gabriel Medina em 2013. Em 2014, Italo Ferreira chegou perto do sétimo título, mas perdeu a decisão para o português Vasco Ribeiro, que já ultrapassou o limite de idade para tentar o bicampeonato esse ano.

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A missão da Liga Mundial de Surf é simples: inspirar uma mudança positiva para o surf, nossos fãs, e para o meio ambiente. Anteriormente denominada Association of Surfing Professionals, a WSL tem promovido os principais campeonatos de surf desde 1976, decidindo os campeões mundiais no Samsung Galaxy WSL Championship Tour masculino e feminino, o Big Wave Tour, o Qualifying Series, o Junior, o Longboard e produzindo eventos como o WSL Big Wave Awards. A WSL possui um profundo apreço pelo passado do esporte, promovendo ao mesmo tempo o desenvolvimento, inovação e desempenho no mais alto nível. Nós colocamos os melhores surfistas do mundo nas melhores ondas do mundo.

Exibindo o melhor do surf em sua plataforma digital através da www.worldsurfleague.com, a WSL tem energizado sua legião de fãs apaixonados com milhões de novos fãs em todo o mundo, todos sintonizados para acompanhar as grandes estrelas do surf mundial, como Kelly Slater, Filipe Toledo, Gabriel Medina, Adriano de Souza, Makua Rothman, Grant “Twiggy” Baker, Greg Long, Stephanie Gilmore, John John Florence, Carissa Moore, entre outros, competindo no ambiente mais dinâmico e imprevisível de todos os esportes.

———————————————————–
João Carvalho – WSL South America Media Manager
(48) 9988-2986 – jcarvalho@worldsurfleague.com
———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO ERICEIRA WSL JUNIOR CHAMPIONSHIPS 2015:
———–baterias que fecharam a segunda-feira:
1.a: 1-Joshua Moniz (HAV)=13.40, 2-Gatien Delahaye (GLP)=10.33, 3-Charly Quivront (FRA)=7.70
2.a: 1-Timothee Bisso (FRA)=11.00, 2-Reo Inaba (JPN)=10.17, 3-Harry Bryant (AUS)=7.07
3.a: 1-Natxo Gonzalez (ESP)=13.50, 2-Nelson Cloarec (FRA)=10.40, 3-Nomme Mignot (FRA)=7.83
4.a: 1-Mateia Hiquily (TAH)=16.37, 2-Benji Brand (HAV)=14.00, 3-Momoto Tsuzuki (JPN)=11.04
———–baterias que abriram a terça-feira:
5.a: 1-Dylan Lightfoot (AFR)=10.87, 2-Noe Mar McGonagle (CRI)=10.50, 3-Jordy Maree (AFR)=8.83
6.a: 1-Hiroto Ohhara (JPN)=14.17, 2-Shane Sykes (AFR)=8.50, 3-Parker Coffin (EUA)=5.40
7.a: 1-Soli Bailey (AUS)=16.10, 2-Griffin Colapinto (EUA)=12.30, 3-Adin Masencamp (AFR)=5.46
8.a: 1-Leonardo Fioravanti (ITA)=15.83, 2-Deivid Silva (BRA)=10.34, 3-Yuji Mori (JPN)=10.23
9.a: 1-Tomas Fernandes (PRT)=14.23, 2-Takumi Yasui (JPN)=13.07, 3-Juninho Urcia (PER)=10.90
10: 1-Kanoa Igarashi (EUA)=14.16, 2-Bevan Willis (AFR)=13.70, 3-Mihimana Braye (TAH)=9.53
11: 1-Jacob Willcox (AUS)=16.50, 2-Lucas Silveira (BRA)=16.04, 3-Kan Watanabe (JPN)=13.93
12: 1-Hiroto Arai (JPN)=14.13, 2-Luan Wood (BRA)=14.00, 3-Alonso Correa (PER)=10.73
13: 1-Matthew McGillivray (AFR)=15.60, 2-Victor Bernardo (BRA)=12.10, 3-Imaikalani Devault (HAV)=9.86
———–ficaram para abrir a quarta-feira:
14: Noah Schweizer (EUA), Elijah Gates (HAV), Yago Dora (BRA)
15: Kalani David (HAV), Kai Hing (AUS), O´Neill Massin (TAH)
16: Seth Moniz (HAV), Alcides Lopes (BRA), Daniel Glenn (EUA)

PRIMEIRA FASE FEMININA DO ERICEIRA WSL JUNIOR CHAMPIONSHIPS:
———–baterias que abriram a segunda-feira:
1.a: 1-Brisa Hennessy (EUA)=16.17, 2-Minori Kawai (JPN)=7.33, 3-Dax McGill (HAV)=4.83
2.a: 1-Teresa Bonvalot (PRT)=16.10, 2-Tia Blanco (EUA)=9.33, 3-Gina Smith (AFR)=4.23
3.a: 1-Mahina Maeda (HAV)=13.33, 2-Miluska Tello (PER)=6.57, 3-Melanie Giunta (PER)=6.53
4.a: 1-Chelsea Tuach (BRB)=13.23, 2-Juliette Brice (FRA)=7.93, 3-Carol Henrique (PRT)=4.84
5.a: 1-Isabella Nichols (AUS)=10.34, 2-Camilla Kemp (PRT)=9.50, 3-Nicole Pallet (AFR)=5.00
6.a: 1-Holly Wawn (AUS)=8.54, 2-Natsuki Suda (JPN)=6.17, 3-Ariane Ochoa (ESP)=3.27

SEGUNDA FASE – Vitória=Terceira Fase e Derrota=13.o lugar com 1.750 pontos:
1.a: Carol Henrique (PRT) x Minori Kawai (JPN)
2.a: Camilla Kemp (PRT) x Gina Smith (AFR)
3.a: Tia Blanco (EUA) x Miluska Tello (PER)
4.a: Natsuki Suda (JPN) x Juliette Brice (FRA)
5.a: Dax McGill (HAV) x Nicole Pallet (AFR)
6.a: Melanie Giunta (PER) x Ariane Ochoa (ESP)

Por Administrador
Compartilhar

Veja também

As finais do Mundial de Surf batem recorde de audiência na história da World Surf League

continue lendo

Mais um dia épico em Regência, 15/09/2021

continue lendo

Medina pensa em pausar as competições em 2022, entenda

continue lendo

Meninas surfam em Regência clássica!

continue lendo

Comentários:

Instagram